/Hugo BARATA/

Não saberás nunca (operação tridimensdional) You will never know (tridimensdional operation), 2011
Pladur, madeira laminada Plasterboard, plywood
127x50x50cm.
Foto Photo: Hugo Barata©

O trabalho continua na direção de uma abordagem transdisciplinar. Com base em alguns aspetos da teoria e prática das artes visuais, com ressonâncias históricas presentes, o seu delineamento centra-se na reflexão acerca das temáticas relacionadas com a crítica institucional, a representação e exploração do espaço, mas também a procura, através do desenho, de universos pessoais que possibilitem a construção de situações hipotéticas de instalação e escultura. É também um momento a partir do qual se reposiciona a pintura como meio operativo deslocado, isto é, como entidade física não-imediata, que se impõe pela forma como o meio se estrutura e se dá a ver, e não apenas enquanto meio em si mesmo, pictórico ou visual.

Hugo Barata, 2013


Artista/Curador. Vive e trabalha em Lisboa. Frequenta o Mestrado na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, vertente Pintura. Expõe o seu trabalho desde o início dos anos dois mil, tendo participado em diversas exposições individuais e coletivas. O seu trabalho desenvolve-se sobretudo nas áreas da pintura, escultura e vídeo, e está incluído em diversas coleções particulares e públicas. Desenvolve também trabalho de investigação e de curadoria independente de exposições, em instituições museológicas e em plataformas alternativas. Dos últimos projetos expositivos destacam-se as exposições DIG DIG: Digging for culture in a crashing economy, Plataforma Revólver, Lisboa, 2012, e Uma ideia nova declina-se forçosamente com uma definição inédita, (artista/curador) Plataforma Revólver, Lisboa, 2011. Dos projetos de curadoria independente destacam-se OBSERVADORES – Revelações, Trânsitos e Distâncias, Museu Coleção Berardo, Lisboa, 2011, She is a Femme Fatale#2, Faculdade Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, Campus de Caparica, 2010, e She is a Femme Fatale#1, Museu Coleção Berardo, Lisboa, 2009. Membro fundador do Teatro do Silêncio, com Direção Artística de Maria Gil.

The work continues toward a transdisciplinary approach. Based on some aspects of theory and practice within visual arts, with present historical resonances, its design focuses on reflection about issues related to institutional critique, representation and space exploration, but also the demand, through drawing, of personal universes that allow the construction of hypothetical situations of installation and sculpture. It is also a point at which the reposition of painting as a displaced operating media, that is, as non-immediate physical entity, that is imposed by the way the medium is structured and gives the view, and not just as a means in itself, pictorial or visual.

Hugo Barata, 2013


Artist and Curator. Lives and works in Lisbon. Attends the Masters Degree at the School of Fine Arts, University of Lisbon, in Painting. He has exhibited his work since the early two thousand, having participated in several solo and group exhibitions. His work develops mainly in the areas of painting, sculpture and video, and it’s included in many private and public collections. He also develops research work as independent curator of exhibitions in museums and institutions, and also in alternative platforms. In exhibitions of recent projects stand out the exhibitions «DIG DIG: Digging for culture in a crashing economy», Plataforma Revólver, Lisbon, 2012, and «A new idea is necessarily declined with an unprecedented definition» (artist / curator), Plataforma Revolver, Lisbon, 2011. Independent curatorial projects stand out «OBSERVERS - Revelations, Transits and Distances», Berardo Collection Museum, Lisbon, 2011, «She is a Femme Fatale # 2», Faculty of Sciences and Technology, New University of Lisbon, Campus of Caparica, 2010, and «She Femme Fatale is the # 1», Berardo Collection Museum, Lisbon, 2009. Founding member of the Theatre of Silence, with Art Direction by Maria Gil.